quinta-feira, 15 de março de 2018

Dodge mobiliza equipe para investigar morte de Marielle Franco

Por: Veja.com
Raquel Dodge emitiu nota em que lamenta a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL). No parecer, a procuradora-geral determina que um grupo designado por ela acompanhe as investigações em torno do episódio. Além disso, ela anuncia a instauração de uma ação em que levanta a possibilidade de se culpabilizar a Federação pelo ocorrido.

Leia a nota na íntegra: 

A presidente do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e procuradora-geral da República, Raquel Dodge, expressa integral apoio ao trabalho dos membros do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, na pessoa do procurador-geral de Justiça, Eduardo Gussen, em relação às investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Pedro Gomes, em 14 de março de 2018, no Rio de Janeiro. A vereadora se notabilizou por ser defensora dos direitos humanos e por dar voz às vítimas de violência no Estado.
O Ministério Público está unido e mobilizado em torno do assunto. Foram designados a secretária de Direitos Humanos do CNMP, Ivana Farina, o secretário de Relações Institucionais do CNMP, Nedens Ulisses, e o secretário de Direitos Humanos da PGR, André de Carvalho Ramos, para se reunirem com o procurador-geral de Justiça Eduardo Gussen e autoridades do Estado para acompanharem o início das investigações.
Também na manhã desta quinta-feira (15) Raquel Dodge determinou a instauração de procedimento instrutório de eventual Incidente de Deslocamento de Competência, para possível federalização da persecução penal. Além disso, solicitou à Polícia Federal que, com fundamento na Lei n. 10.446 e no artigo 144-§1º-I da Constituição, adote diligências de investigação necessárias.

O Crime 

A vereadora Marielle Franco, do PSOL, foi assassinada a tiros na noite desta quarta-feira (14/03), no Rio de Janeiro. O motorista do carro em que Marielle estava também foi baleado e morto. A assessora Fernanda Chaves também estava no veículo e sobreviveu. O crime aconteceu na Rua Joaquim Palhares, no bairro do Estácio, região central da cidade.

Marielle foi a quinta vereadora mais votada nas últimas eleições para a Câmara Municipal, com 46.502 votos. Na noite desta quarta, antes do homicídio, ela participou de um evento com jovens negras na Lapa.

Em nota, o PSOL cobrou “apuração imediata e rigorosa desse crime hediondo” e destacou a atuação política de Marielle. “Estamos ao lado dos familiares, amigos, assessores e dirigentes partidários do PSOL/RJ nesse momento de dor e indignação. A atuação de Marielle como vereadora e ativista dos direitos humanos orgulha toda a militância do PSOL e será honrada na continuidade de sua luta.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O site Cruz das Almas News coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático.

Obrigado