terça-feira, 16 de maio de 2017

Mulheres de Cachoeira/BA de mobilizam contra a violência às mulheres na cidade

Na madrugada do dia 03 de maio três mulheres estavam na Rua 25 de Junho, uma das mais tradicionais da cidade por reunir bares e restaurantes, quando foram agredidas por um homem conhecido por ser músico na cidade. Ele agrediu fisicamente duas mulheres e verbalmente mais uma, com expressões que revelaram um intenso ódio de gênero e discriminação sexual. O agressor arremessou cadeiras, uma mesa e deu socos em uma das vítimas que caiu no chão e teve o dente e a prótese arrancada com a pancada, além de escoriações na perna. Toda a violência foi registrada por câmeras de segurança de um bar. (Vídeo abaixo)
Após serem acuadas pelo agressor, que é reincidente, a polícia militar foi acionada, mas ele não foi preso. Horas depois do ocorrido ele ainda se dirigiu à casa de uma delas e a ameaçou de nova violência. Casos como esses ocorrem diariamente na cidade, mas o medo da impunidade leva ao silenciamento. As denúncias não acontecem principalmente inoperância da delegacia local, onde os agentes dificultam o registro de denúncias de violência contra mulheres, transexuais e travestis. Enquanto isso, mulheres seguem sendo agredidas sem ter possibilidades de recorrer por socorro.

De acordo com dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em 2016 no Brasil 4,4 milhões de mulheres sofreram uma violência física como tapa, chute ou soco a cada hora, sendo que 12 milhões de mulheres sofreram algum tipo de ofensa verbal e 1,4 milhões foram espancadas ou sofreram tentativa de estrangulamento. Em 61% dos casos as agressões partiram de conhecidos. Os dados que foram divulgados fazem da pesquisa “Visível e Invisível: a Vitimização de Mulheres no Brasil” e revelam ainda que em 52% dos casos não houveram denúncia.

Com o objetivo de chamar atenção da população de Cachoeira, o coletivo de mulheres Mexeu Com Uma, Mexeu Com Todas: Eu Hoje Estou Arredia!, organiza a partir dessa quarta-feira (17) ações que visam denunciar crimes de violência em todas as suas formas, físico, psicológico e verbal, em especial os casos feminicídio e de lesbofobia que tem aumentado ao longo dos últimos anos. Estão previstos debates públicos para tipificar os tipos de violência que acontecem no dia a dia, bem como exibição de filmes sobre a temática e no dia 19, um sarau poético-musical e um ato público que percorrerá as principais ruas da cidade. 


SERVIÇO:

Mulheres de Cachoeira/BA unidas contra o feminicídio, lesbofobia e toda forma de violência!

PROGRAMAÇÃO:


Quarta-feira (17/05)
Local: Praça Teixeira de Freitas
16h - confecção de cartazes
19h - sessão "Gênero e Sexualidade" da Mostra Permanente de Resistências, organizada pelo cineclube Mário Gusmão
21h - cultural com MC Jayne

Quinta-feira (18/05)
Planfletagem e divulgação do debate e ato

Sexta-feira (19/05)
Local: Colégio EStadual de Cachoeira
14h - mesa de debate: Diferentes formas de violência contra as mulheres: verbais, psicológicas e físicas
16h - início do ato

Local: Praça Texeira de Freitas
21h - Sarau: Arredias

Mais informações:
Alanna Oliveira 75 99185-3042
Debora Melo 71 99331-7825

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O site Cruz das Almas News coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático.

Obrigado