terça-feira, 2 de maio de 2017

Criador do Baleia Azul não foi preso e nem espancado na cadeia

 Por: Veja.com - Fotos: Divulgação
Como todo e qualquer tema em destaque na mídia, o jogo denominado Baleia Azul, que coage jovens a cumprirem 50 tarefas arriscadas antes de cometerem suicídio, também é assunto para notícias falsas na internet. No último final de semana, circulou com força por conversas no WhatsApp e timelines no Facebook a lorota de que “Criador do Baleia Azul é espancado na prisão e quase morre”. Criada pelo site Sociedade Oculta, a mentira foi compartilhada pelo menos 110.000 vezes nas redes sociais.

Diz a notícia falsa:

Segundo Manchete do Moscou News ,[sic.]  Ele [sic.] é obrigado a dizer varias vezes enquanto apanha que é monstro.
Mal acaba de entrar na sela [sic.] , [sic.] e jovem é espancado. Enquanto apanhava, o jovem criador do jogo, que estava [sic.] nu, é obrigado pelos agressores a dizer que é monstro.
“Eu sou um monstro sem vergonha. Tarado sem vergonha”, diz a vítima durante seção de espancamento.
Ele teve o intestino perfurado e foi socorrido ,[sic.] levado ao Hospital de Urgencias [sic.] de Moscou , onde alguns profissionais  , [sic.] recusaram atendimento, o qual só foi realizado devido  imposição pela policia, caso contrario [sic.] o jovem poderia ter morrido , disse o Secretario de Administração Penitenciária e Justiça, [sic.] o detento já teve alta médica e está isolado em uma cela no presídio.
Colegas dão socos e chutes na vítima por cerca de dez minuto[sic.], Secretaria diz que caso não se trata de agressão, mas de uma iniciação e não sera [sic.]  investigado. A vitima [sic.] é o homem responsável pela criação do jogo macabro:O [sic.] russo Philip Budeikin, de 21 anos.
A agressão ocorreu no dia 28 deste mês. As imagens mostram que ao menos dez homens assistiam enquanto o preso era espancado. Um cabo de vassoura foi usado durante o crime.
Segundo o superintendente de Segurança Prisional do presídio, o crime será investigado.
A ideia de criar um jogo composto por cinquenta passos a serem cumpridos teria sido inventado por ele para poder aliciar sobretudo adolescentes que estivessem passando por um momento crítico.
“A história dele tem que ser analisada com certa parcimônia porque ele possui um distúrbio mental e ele não chegou a consumar a conjunção carnal com a maioria das vítimas”, diz o delegado local Manel Vanderickz.

Além dos doze erros de gramática e ortografia indicados acima, a informação está errada por um motivo simples: não se tem notícia de que o “criador” do jogo tenha sido localizado, nem preso, muito menos espancado na cadeia.
O método para construir a história fictícia, bastante comum no ramo das mentiras online, aliás, foi o de distorcer notícias verdadeiras. Vejamos:
O jovem de casaco marrom que aparece detido nas imagens a ilustrar as notícias falsas é, de fato, Phillip Budeikin, um russo de 21 anos.
Conhecido na internet como Phillip, The Fox (Phillip, a raposa), ele foi preso em São Petersburgo, em novembro de 2016, após uma investigação apontá-lo como responsável pela organização de oito grupos que incentivavam jovens ao suicídio no Vkontakte, uma rede social russa.
De acordo com os investigadores, entre dezembro de 2013 e maio de 2016, cerca de 15 adolescentes se suicidaram depois de entrarem nos grupos mantidos por Budeikin e seu bando.
Não há até agora, no entanto, nem indícios, nem informações confiáveis publicadas na imprensa que liguem Phillip Budeikin, ou qualquer outra pessoa, à criação do jogo Baleia Azul. Também não há informação de que ele teria sido agredido atrás das grades.
Tudo indica que a existência do tal delegado Manel Vanderickz – cuja declaração sobre “conjunção carnal”, ressalte-se, não faz sentido algum – também tenha sido inventada para dar alguma veracidade à notícia.

Hematomas de mentira

Outro problema grave na notícia falsa sobre a prisão do mentor do Baleia Azul são as fotos que ela ostenta.
O homem com hematomas no rosto, suposto retrato de Phillip Budeikin após ser atacado na cadeia, é, na verdade, Tom-Jan Hüsch, um alemão que espancou seu cachorro em 2014, filmou as agressões e as publicou no Facebook.
Outra história de ficção garante que os ferimentos de Hüsch foram adquiridos quando um homem, revoltado, resolveu lhe aplicar um corretivo. Na verdade, como se pode observar na imagem abaixo, os hematomas foram (pessimamente) delineados em algum programa de photoshop.
Ou seja, não bastasse ter publicado a imagem de outra pessoa, a notícia falsa sobre o criador do Baleia Azul empregou uma foto adulterada e utilizada em outra notícia falsa, muito provavelmente algo na linha de “Agressor de cão é espancado… veja como ele ficou”.
Por fim, a imagem da capa de jornal ao lado da foto do rosto ferido não diz nada a respeito de Phillip Budeikin, nem de sua prisão, nem de suicídios de adolescentes, nem do jogo Baleia Azul.
Trata-se da capa do jornal americano Daily News que circulou no dia 29 de novembro de 1994, cuja manchete é a morte do serial killer Jeffrey Dahmer, em 28 de novembro de 1994. Réu-confesso de 17 assassinatos, Dahmer foi espancado até a morte por outros presos em um presídio no estado de Wisconsin.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O site Cruz das Almas News coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático.

Obrigado