quarta-feira, 23 de março de 2016

As Crônicas de Paulo Cezar Lemos: O JUIZ SERGIO MORO É O MAIOR ATIVO DO BRASIL.

Ha cerca de dois anos fiz um pedido a um profissional aqui de Cruz das Almas, para preparar camisas com estampas do juiz Sergio Moro e do Dr. Joaquim Barbosa, ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal. As estampas foram acompanhadas com as palavras; honra, caráter e pátria. Passei a usar as duas peças no dia a dia e testemunhei fatos curiosos. Ao chegar a um mercadinho aqui na cidade, uma senhora me perguntou se aquela figura estampada na camisa era meu filho. Respondi que se tratava do juiz Sergio Moro e aproveitei a oportunidade para falar um pouco sobre seu trabalho. Na barraca de verduras, o proprietário quis saber se era meu pai. Prestei as referidas explicações, consciente do trabalho educativo que estava fazendo. No bar de Turíbio aconteceu algo que me surpreendeu. Um funcionário público de uma empresa local me chamou à parte e perguntou, ao pé do ouvido, quem era a pessoa da estampa. Dois meses depois, no mesmo mercadinho anteriormente citado, a mesma senhora perguntou novamente se a estampa representava meu filho. Atores de telenovelas, jogadores de futebol, políticos e cantores de axé são reconhecidos imediatamente em todos os recantos, ao contrário de figuras importantes para a sobrevivência das sociedades, a exemplo de médicos, juízes, promotores, delegados, policiais, professores, garis, entre outros e que representam o sustentáculo de uma comunidade. Quando garoto, fui um obsequioso e aplicado leitor de revistas em quadrinhos, onde artistas como; Batman, Superman, Zorro, Fantasma, Cavaleiro Negro, Kit Carson entre outros, eram as vedetes. Estamos vivenciando no Brasil de hoje, uma situação, não das revistas em quadrinhos, mas, de um artista real: O juiz Sergio Moro. Este artista está lavando a alma dos brasileiros que fazem uso da razão, conscientes. No país dos bacharéis de direito e das igrejas evangélicas, está ocorrendo uma séria crise ética e moral. Crise que só tende a piorar, pois a própria família fomenta, alimenta o caos. Os pais tomam os filhos pelas mãos e levam para os templos, onde as religiões impõem suas verdades, constituindo assim a primeira trava para o desenvolvimento científico daquele futuro cidadão. Sem a ciência não teremos homens livres. Tios, padrinhos e pais, levam os garotos pelas mãos, aos estádios de futebol ou aos bares, aonde, em meio a palavrões, algazarra, álcool e cigarro, a criança recebe suas primeiras aulas de iniciação ao alcoolismo, fumo e falta de educação, tornando-se adultos, precocemente. Adultos com muitas limitações. Não observamos crianças sendo conduzidas pelos pais a uma biblioteca, mesmo que seja a mais simples possível, ou até a uma banca de revista como meio de incentivo à leitura. Os valores morais da sociedade tem sofrido uma violenta degradação nos últimos anos aqui no Brasil, especialmente na era do petismo, onde a corrupção na área econômica e judicial alcançou valores não permitidos, perigosos mesmo. Temos o exemplo recente do palavreado chulo e rasteiro do ex-presidente. Palavrões e volúpia pelo poder que é encontrada comumente entre traficantes, contraventores e cartolas do futebol. Nesta onda de sujeira e lama no meio político e que chegou a atingir o judiciário, por pressão dos maus políticos, surge um diamante puro em Curitiba, que é o juiz Sergio Moro. Procurar um bom exemplo, hoje, no Brasil, em termos de ética e moral e que possa servir para nortear a formação do cidadão brasileiro é como buscar uma agulha no palheiro. Para constatar que nem tudo está perdido temos ai a tenacidade, altivez, honra, sensatez, serenidade e profissionalismo deste juiz. Tudo isto em apenas uma pessoa que em pouco tempo liderou um grupo de jovens promotores e delegados federais, investigando e emitindo sentenças contra figurões consideradas intocáveis no Brasil de outrora. A seriedade, eficiência e rapidez com que o juiz Sergio Moro atua, reforça a ideia de que a justiça tardia, como a que se tem normalmente no Brasil, não é justiça, mas injustiça comprovada. A verdadeira justiça não está nas mãos de juízes tardinheiros, corrompidos e subordinados a políticos, mas na condução seria de magistrados livres como o comandante da lava jato.

*É proibida a reprodução total ou parcial deste texto, por qualquer meio, sem prévia autorização
do autor  Prof. Paulo Cezar ou do site www.cruzdasalmasnews.com.br.

Um comentário:

  1. Devemos é estampar á Jesus nos nossos corações isso sim porque é o único que é perfeito Moro,Joaquim todos eles quer é aparecer se ninguém percebeu ainda vão ver no futuroalguma coisa Moro tá querendo não se iludam povo.

    ResponderExcluir

O site Cruz das Almas News coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático.

Obrigado