quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

As Crônicas de Paulo Cezar Lemos: ATRASOS SECULARES NO RECÔNCAVO

Berço de uma forte religiosidade desde o Brasil colonial, cenário das primeiras investidas da exploração pelos europeus, principalmente os portugueses, destacando-se a agricultura, extração de minérios, corte de madeiras, entre outros, foi também no Recôncavo que o Príncipe Regente D. João VI criou a primeira escola de medicina do Brasil e O Imperador D. Pedro II, em 1875, implantou a primeira Escola de Agronomia, em São Bento das Lajes. Apesar deste pioneirismo brilhante e promissor é possível nos dias atuais constatar sinais marcantes do atraso desta região. Parece que todos os santos da igreja católica foram sediados no Recôncavo. Nos dias considerados santificados pelos moradores da zona rural, os mesmo não trabalham, embora se dirijam às famosas bodegas para consumir pinga, deixando entender que o santo do dia, perdoa. Dia santo (comemora-se alguma entidade considerada como santo); feriado (poucos na zona rural; até o sete de setembro é ignorado) dia santo e feriado (dia em que se comemoram os dois ao mesmo tempo). Outro dia, numa roda de conversa em uma bodega, com a ajuda dos moradores locais foram enumerados 26 dias considerados santos, quando paramos de contar. Se alguém ousar trabalhar em um destes dias, o santo pode se vingar! Por exemplo, no dia de Santa Luzia, a pessoa pode começar a apresentar problemas na visão e assim por diante. Raríssimos são os agricultores que aceitam inovações na agricultura. Os conhecimentos das bisavós são os mais indicados. Novidades, em muitos casos são consideradas ineficazes e até tratados com deboche. É só o técnico virar as costas! Podemos afirmar, sem sombra de dúvida, que aqui se pratica uma das mais atrasadas agriculturas do Brasil. Aos domingos e nos famosos dias santos, grupos de caçadores com suas famigeradas cartucheiras e um rebanho de cachorros saem para matar os últimos animais silvestres (raposas, sagüins, teiús, tatus, gambás e outros). Reúnem-se nas bodegas para se vangloriarem das atrozes perseguições aos indefesos animais (que se defendem apenas com os músculos das pernas); se refestelam comendo os magros animais e bebendo cachaça. Já presenciei funcionários públicos e até professores se juntarem a estes grupos para cometerem esta miserável chacina. Quem devia exemplificar, estimula! Durante estas farras se ouvem a pornografia musical que hoje é a marca do Recôncavo. A musicalidade atingiu o fundo do poço, com letras degradantes, apologia ao sexo, ao uso de entorpecentes e desmoralização da mulher. O noticiário de ontem (25/02/14) destacou o material produzido pela Adidas para a copa. As camisas trazem desenhos que simbolizam mulheres peladas. Dirigentes do governo se sentiram ofendidos e querem tomar atitudes que façam a Adidas reparar o erro. Por outro lado, só os ingênuos não sabem que os europeus, americanos e latinos quando se referem ao Brasil, desenha-se em suas mentes uma grande xoxota. É isto! Brasil significa mulher fácil e sexo fácil para boa parte dos turistas. Não é à toa que continuam vindo, mesmo sabendo dos riscos da falta de segurança. Não devemos esquecer que a musicalidade do Recôncavo vem alimentando esta idéia pornográfica para os estrangeiros, pois só se mostram as pernas das cantoras e dançarinas para esconder a falta de talento musical além de palavras de baixo calão nas supostas letras de uma mistura que chamam de música. Uma parlamentar a algum tempo criou um projeto de lei para que o poder público não contrate os grupos que praticam este tipo de música. Foi um grande rebuliço contra a deputada. Mas, no dia seguinte, no jornal de meio dia da TV Bahia, um grupo destes foi convidado para cantar. Os mesmos, de forma debochada e rindo começaram o show destacando: ˝tá coçando”! “tá coçando”! num declarado desdém em relação à parlamentar. Onde está a responsabilidade e o bom senso da mídia?
Lookin to score, pode ser traduzido no dicionário Oxford como: “em busca de goals” ou “pegar garotas”.